Beit Midrash

Beit Midrash

sábado, 26 de fevereiro de 2011

A Corbã e seu siginificado.

Shalom gente!

Devido a muitas perguntas feitas sobre o assunto Corbã, resolvi postar e oferecer algumas explicações, aqui vão alguns esclarecimentos:

A referência a Corbã aparece em Marcos capítulo sete, então convido você a ler todo o capítulo e tiras suas conclusões:
1. Este texto narra o conflito entre Jesus e os costumes dos escribas e fariseus, mas cabe ressaltar que estamos falando de duas tradições, que segundo Richard Hosley - em seu livro Jesus e Império, editora Paulus - primeiro os galileus mantinham uma tradição popular, enquanto os fariseus cultivavam uma tradição aristocrática. Com isso em mente vemos que Jesus conflitava com a manutenção dessas tradições elitista, alegando serem tradições de homens e que com isso negligenciavam o mandamento de Deus.

2. A Corbã era uma oferta (sagrada) de bens (produtos da terra) que as pessoas (camponeses) deveriam entregar no Templo de Jerusalém, mas isso significava que estes bens (ofertas) não estavam sendo utilizadas para o sustento dos pais necessitados, e desta forma, descumpriam o mandamento das tábuas da Lei entregue pelo próprio Deus a Moisés, que diz: "honra (sustenta financeiramente) teu pai e tua mãe". Nesta passagem Jesus está querendo comunicar que os recursos (ofertas) agrícolas usados para os sustento dos pais devem ter prioridade sobre o sustento do Templo.

3. Neste momento cabe uma pequena explicação sobre dízimo baseado em Deuteronômio 26, por favor leia. Nesta passagem é explicada a cerca do uso do dízimo (primícias da terra) em hebraico terumot. Assim neste texto são apresentados três tipos de dízimos: a) o primeiro seria destinado aos sacerdotes israelitas e suas famílias; b) o segundo, era entregue aos levitas israelitas, do qual tiravam a décima parte e entregavam aos sacerdotes (o dízimo dos dízimos); c) e o terceiro era entregue a cada três anos aos necessitados, pobres da terra para que houvesse justiça social e não existisse necessitado na terra.

4. No entanto, quero ressaltar que este dízimo deve ser entregue no Templo de Jerusalém, aos sacerdotes israelitas, aos levitas israelitas conforme o texto de Malaquias capítulo três. Mas devido a Teologia da Substituição aplicamos este texto indevidamente à igreja gentílica. Gostamos de aplicar versículos aparentemente vantajosos financeiramente a igreja, mas esquecemos do dízimo do pobre, da viúva, do necessitado.        

Assim sendo, a Corbã é uma honra indevida, pois enquanto damos dinheiro aos líderes eclesiásticos que não precisam, nossos familiares (principalmente pai e mãe), amigos, irmãos de fé passam necessidade. Na verdade a Corbã devia ser dada a eles a fim de corrigir uma injustiça social, aplicando o princípio de repartir ensinado em Atos 2. 42. Enfim vale a pena refletir.


 

3 comentários:

  1. È uma pena que a interpretação do Antigo Testamento não é levado ao pé da letra, como a Maldição Herditária, o Dizímo, Sacerdotes e Levitas e ETC.

    ResponderExcluir
  2. Shalom amigo.

    Gostaria muito que você assinasse sua postagem. Bem quanto a interpretação literal do A.T discordo de você, pois nossa leitura em quanto cristãos deve ser a luz do que Jesus revelou, ou seja, certas passagens não podem ser aplicadas a igreja gentia.

    Também quero deixar claro que não acredito em maldição hereditária,dízimo, primícias, arca da aliança, recompensa por ofertas, sacerdotes e levitas dentro do contexto cristão, estas coisas são frutos de uma má interpretação tremenda.

    Cláudio Nogueira.

    ResponderExcluir